CRÍTICA: CORAÇÕES DE FERRO (FURY)

fury-brad-pitt-logan-lerman-shia-labeouf

Nos últimos dois meses da 2ª Guerra, acompanhamos um pelotão Americano de 5 homens comandado pelo Sargento Don (Brad Piit), em território Alemão, ocupando as ultimas cidades nazistas que ainda resistem ao avanço dos Aliados. Em um ambiente extremamente claustrofóbico (e acolhedor), acompanhamos essa jornada dentro de um tanque de guerra chamado de “Fury”, onde nossos 5 herois mostram todo seu valor e coragem exterminando com os nazistas e libertando judeus. Nunca antes havia visto em alguma película este estágio da 2ª Guerra, e nem mesmo de forma tão crua e realista, onde faz o espectador ter uma quase real ideia do pavor dos bravos soldados que estão nos campos de batalha defendendo sua bandeira e lutando pela própria vida.

Cada um dos 5 soldados tem uma posição chave (e personalidades muito peculiares) dentro do tanque e a harmonia deles, mesmo que muito controversa, é o que faz do Pelotão do Sargento Don ser uma máquina de mortes nazistas em larga escala e de brava resistência, alem de contarem sempre com um pouco de sorte.

Norman (Logan Lerman) and Wardaddy (Brad Pitt) in Columbia Pictures' FURY.

Sem duvidas o maior primor do longa, é a estupenda atuação de Brad Pitt, que com um personagem que muito nos lembra outro personagem seu, o “Tenente Aldo Raine” de Bastardos Inglórios (2009) do diretor Quentin Tarantino, ele é um legitimo caipira americano que cresceu e muito no exercito mostrando toda sua bravura, dedicação e lealdade a sua pátria. Com uma atuação extremamente realista, e com bons momentos de humor em meio aos cos intalado, Brad Pitt mais uma vez mostra que realmente é um dos melhores atores de sua geração e foi uma lástima o Oscar 2015 ter esquecido seu brilhante papel, e não possibilitar que ele concorresse a “Melhor Ator”, mais uma daquelas velhas injustiças que a Academia alavanca.

Todos as atuações estão magnificas, com um elenco recheado de excelentes e reconhecidos atores. A fotografia é outro ponto alto conseguindo filmar muito bem 5 pessoas dentro de um apertado tanque. Já a equipe de pós-produção teve uma sacada muito interessante, deixando todos os tiros disparados pelos Americanos como se fossem lasers vermelhos e dos Alemães de cor verde, o que deixa o filme bem didático e ajuda o espectador a não se perder e saber de qual lado está vindo o chumbo grosso.

Brad Pitt;Shia LaBeouf;Logan Lerman;Michael Pena

Deixo aqui minha indignação por “Corações de Ferro” ter ficado de fora do Oscar 2015. Um filme competente e que mostra a 2ª Guerra em seu lado mais cruel, deixando a politicagem de Hitler e dos aliados de lado, dando ênfase apenas aqueles que sentiram na pele o que foi a guerra. O diretor Davis Ayer foi a fundo na temática que adotou e nos presentou  um grande clássico, uma 2ª guerra vista como nunca antes.

Nota: 9,5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s